Patrícia Camargo

Patrícia Camargo - Formação em Psicanálise Clínica com o Prof. Wilson Cerqueira, do Centro de Estudos em Psicanálise Clínica, filiado à Associação Brasileira de Psicanalistas Clínicos (ABPC).

Realiza atendimentos como Psicanalista Clínica em Sorocaba e Campinas.

Também trabalha há mais de 7 anos com Coaching de Vida e é especialista em Coaching Afetivo. É conciliadora da Justiça Federal e autora dos blogs Coaching Afetivo e Psicanálise Sorocaba.

Por que fazer Psicanálise ?
Porque em algum momento de nossas vidas sofremos traumas, sentimos mágoas, culpas, frustrações, perdemos o rumo, nos desconhecemos, buscamos ser melhores do que somos e sabemos que podemos ir além.

Geralmente, as pessoas não têm consciência das diversas causas que determinam seus comportamentos e suas emoções. Estas causas estão em nosso inconsciente, e através de um Processo Psicanalítico, é possível compreendermos por que agimos como agimos e como podemos ser pessoas melhores, mais equilibradas e conscientes de nossos atos e escolhas.

Através do método da Individuação desenvolvido por Jung, paciente e analista buscam juntos a resolução dos conflitos mediante sua re-significação, possibilitando a ampliação da consciência do paciente. Com a interpretação do material trazido pelo paciente, o Processo Psicanalítico possibilita o surgimento de novos caminhos e novas possibilidades para que o paciente tenha uma vida plena e feliz.

Contatos pelo e-mail psicanalise@patriciacamargo.com.br ou pelos celulares (15) 9 9855-2277 / (19) 9 9739-4019 (What´s app)


Link da matéria da TV Tem (Afiliada da Rede Globo em Sorocaba) em que Patrícia Camargo é entrevistada sobre como realizar seus sonhos :



quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Podemos deixar de sofrer por amor ?


Muito já se disse sobre o amor. Atendo em meu consultório semanalmente pessoas que querem resolver suas questões amorosas. Umas sofrem por não ter seu amor correspondido, outras se lamentam por que ainda não encontraram o amor e outras ainda vivem grandes crises em seu relacionamento afetivo.

Como já disse o grande Camões : 

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor? 

O amor nos torna vivos ! Quando amamos, buscamos dar o nosso melhor. Quando nos frustramos no amor, parece que muita coisa ao nosso redor não dá certo, e nos perguntamos “ por que o amor não dá certo em minha vida ?”

O amor foi dividido em 3 tipos : Ágape, Eros e Philos. É muito interessante analisarmos cada um deles.

O amor Ágape é o amor de Deus para com seus filhos, portanto, um amor incondicional. Independente do que façamos ou da maneira como agimos, Deus sempre nos amará, pois seu amor não tem condições ou pré-requisitos, ele apenas nos AMA. Analisando esta premissa, sentimos que somos aceitos de qualquer forma pelo que verdadeiramente somos, com nossos defeitos, nossas qualidades, nossas limitações, nossas intenções. Este é o amor de Deus, portanto, superior a cada um de nós.

O Eros é o amor ligado a parte sensual e sexual.  Está ligado às nossas paixões, às atrações físicas, pois é um amor carnal. É impulsionado pelo prazer e pela conquista. Está ligado á nossa sexualidade, ao prazer, ao encontro físico com o outro, que pode tomar dimensões maiores do que somente a dimensão erótica, caso exista juntamente com o amor Philos.

O amor Philos é o amor baseado na amizade, no respeito ao próximo, na confiança, na nossa vida em sociedade. Se faço um bem ao próximo, estou fazendo a mim mesmo, assim como se lhe faço mal, este mal também é direcionado a mim.  Alguns povos da África utilizam a expressão Ubuntu para designar a relação do indivíduo e sua comunidade, através da consciência de que o que é bom para um, é bom para todos, uma linda expressão do amor Philos.

Não somos perfeitos, mas podemos dar nosso melhor. E isto quer dizer que, tendo a consciência de que existe um amor maior de Deus para com seus filhos, de você para com sua comunidade, sua família e com as pessoas do seu convívio, e de você com seu parceiro, podemos unir todos estes sentimentos num sentimento de respeito e União.

A partir desta conscientização, aceito não brigar com meu amado porque a briga só nos levará à discórdia. Aceito nossas diferenças, coloco limites, busco o diálogo, porque sei que nosso convívio serve para nosso aprimoramento pessoal. Abro minha mente para questões maiores do que somente meus problemas individuais, pois reconheço que meus problemas não são os piores do mundo e que posso optar por ajudar ao meu próximo, sabendo que estarei, automaticamente, ajudando a mim mesmo !